A empresa sueca de moda  “Hennes et Mauritz”,  mundialmente conhecida como “H&M”, anunciou que retirou de suas lojas um casaco de moletom que lhe rendeu inúmeras acusações de racismo, principalmente por parte da estrela americana MBA Lebron James.

Horas antes, um integrante do Time de basquete Cleveland Cavaliers também havia criticado duramente a empresa pela divulgação de uma campanha,  em que um menino negro usava um casaco de moletom em que se lia ” Coolest Monkey on the jungle ” – o macaco mais legal da selva.

A polêmica se agravou também em função de um outro moletom, vestido por um menino branco, onde se lia: “Especialista em sobrevivência na selva”.

O cantor The Weeknd também se manifestou e declarou publicamente que não trabalha mais com a gigante sueca.

Não é a primeira vez que uma grande marca se encontra nessa situação.  
Em 2014, a Zara retirou do mercado uma camiseta infantil de listras com uma estrela amarela bordada,  que gerou polêmica por sua semelhança com os uniformes dos judeus no campo de concentração nazista.

No Brasil, a empresa Maria Filó também foi acusada de preconceito, em razão de uma estampa cujos negros apareciam como escravos numa de suas coleções. Ela rapidamente se desculpou e retirou de suas lojas, as roupas com a referida estampa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *